• Por Bruno Santos

#Ep31 – Jornada dupla e meta cumprida

Enquanto uma das equipes segue firme o mapeamento em Mato Grosso, o segundo time parte do interior paulista rumo a Uberaba, em Minas Gerais!


tecnico confina brasil com pecuaristas

Em Tangará da Serra, o quinto município mais populoso de MT, com mais de 103,7 mil habitantes, chegamos no maior semiconfinamento do mundo onde estão focados na terminação de gado.


A fazenda que abate 130 mil cabeças por ano, tem capacidade estática para 42 mil animais. Um dos diferenciais está na alimentação do gado. Eles realizam o processamento do grão de algodão, retiram o óleo, vendem para a produção de biodiesel e, com os resíduos, fazem a famosa “torta de algodão”, e fornecem para o rebanho a pasto.

confina brasil. gado no cocho.

No local também chama a atenção o alto investimento que os proprietários fizeram em infraestrutura. Todas as estradas em volta da fazenda são bem cuidadas e a manutenção é realizada pelos pecuaristas.


Além disso, tiveram muita dedicação com a instalação da rede elétrica, gerando energia de qualidade para abastecer toda à área. Há ainda geradores para manter a esmagadora de caroço de algodão caso necessite.


Também vale destaque o aporte feito em internet, como os colaboradores trabalham com sistemas muito complexos de gestão e controles, investiram em boa conexão para transferência rápida e eficiente de dados.


Eficiência

confina brasil. tecnicos analisando bebedouro de agua.

Ainda em Tangará da Serra, visitamos a segunda fazenda na região. Com capacidade estática para 3 mil animais, no local realizam a recria a pasto e terminação no confinamento.


A estrutura é bem tradicional com uma dieta simples e otimizada. Fazem silagem de sorgo na própria fazenda e o restante dos ingredientes da dieta compram no mercado. Utilizam também caroço e torta de algodão. O que chama também a atenção no local é o trabalho realizado pelos colaboradores, que embora seja uma equipe bem enxuta é bem eficiente em todos os processos.


Equipe 2 a campo

tecnico confina brasil com pecuarista

Enquanto o mapeamento segue a todo vapor em MT, nossa segunda equipe também saiu a campo para reforçar a coleta de dados. Partimos de Bebedouro com destino a Uberaba, mas antes de chegar em terras mineiras, fizemos uma parada em um confinamento no município de Morro Agudo/SP.


A fazenda que voltou as atividades no ano passado após um período de pausa, conta com um confinamento de capacidade estática para 10 mil animais. Este ano a meta dos proprietários é confinar 18 mil bois.


Entre os diferenciais, destaque para a eficiência dos donos na compra de gado. A dieta também tem grande atenção por parte dos gestores, sendo formulada de acordo com o que cada tipo de animal pode desempenhar.


Chegamos MG!

confina brasil. rebanho confinado.

Na parte da tarde chegamos na terra do zebu. Na cidade visitamos dois confinamentos, ambos com características bem semelhantes. O primeiro deles tem capacidade estática para 1.000 mil animais e pretende terminar este ano cerca de 2 mil bois.


O segundo, com capacidade estática para 1.500 cabeças planeja abater 2.400. Nas estratégias, as fazendas compram o bezerro, fazem o sequestro, levam para o pasto e depois terminam no confinamento. Ou então compram boi magro e levam direto para o cocho.


confina brasil. rebanho no cocho.

Com as duas equipes a campo, o Confina Brasil já atingiu o objetivo inicial. Ampliamos a coleta de dados e, faltando poucas semanas para encerrar as visitas, o que corresponde a 30 confinamentos a serem visitados, a expedição já totaliza 1 milhão de cabeças visitadas.


Seguimos firmes mapeando a boiada intensiva em Mato Grosso e em Minas Gerais simultaneamente. #issoéconfinabrasil.


  • Confina Brasil Instagram