• Por Bruno Santos

#Resumo da semana: 15 confinamentos visitados e capacidade estática superior a 85 mil bois

Atualizado: Out 7

Identificamos na primeira semana de retomada do Confina Brasil (28 de setembro a 5 de outubro) otimismo e confiança por parte dos pecuaristas paulistas e sul-mato-grossenses com o mercado que, por isso, estão ampliando seus processos, tornando a gestão ainda mais eficiente e diversificada.

Após uma pausa nas atividades por conta da pandemia do coronavírus, nossa primeira semana de Confina Brasil foi de trabalhos intensos do nascer ao pôr do sol. Seguindo todos os protocolos de segurança, visitamos 15 confinamentos que, juntos, somam capacidade estática superior a 85 mil bois.

Durante alguns dias trabalhamos de forma simultânea. Enquanto uma equipe finalizava os mapeamentos no interior paulista, a segunda já estava a todo vapor em Mato Grosso do Sul.

Embora tenha sido uma semana cansativa pelo forte calor e pelas longas distâncias, tem sido muito produtivo e gratificante para todos nós. Em todas as fazendas que passamos a recepção pelos gestores e pecuaristas foi excelente. Todos foram bem solícitos e forneceram as informações que precisávamos.


Um aspecto que chamou nossa atenção foi o visível otimismo em relação à atividade de confinamento por partes dos pecuaristas. Percebemos que mesmo com esse ano atípico e de muita instabilidade, os produtores estão confiantes com o mercado, principalmente com a valorização da arroba, e continuam investindo e ampliando os negócios em suas fazendas”.


Bem-estar animal

Além do otimismo com o mercado de engorda de bois durante as visitas às propriedades, foi possível perceber diversas semelhanças entre as fazendas. Foi consenso em praticamente todos os confinamentos visitados a preocupação com o bem-estar animal, uma vez que foi observado em muitas fazendas a presença de sombras, aspersores e manejo de adaptação dos animais em piquetes.


A maioria dos confinamentos já entendem o diferencial do bem-estar para o ganho da boiada, porém boa parte ainda não tem implantado todos esses processos, mas já estão conscientes da importância do conforto animal dentro dos currais de engorda.

Dentro das atividades, os proprietários buscam sinergia para melhorar a produtividade, sendo a terminação intensiva uma das alternativas de grande importância. Com isso, passaram a investir mais no confinamento que tem capacidade estática para 10 mil animais. A fazenda também conta com tecnologia na fábrica de ração, garantindo a agilidade dos tratos com alta eficiência.


Uma curiosidade da fazenda é que quando os proprietários tiram os animais do confinamento, é plantado capim para formar uma espécie de pasto dentro das baias. Quando a nova boiada entra nessas baias é como se estivesse e um piquete de capim bem formado. Essa estratégia auxilia os animais na ambientação dos lotes até se adaptarem ao confinamento.


Integração lavoura-pecuária

O sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP), estratégia de produção que integra culturas anuais e pecuária no mesmo espaço em consórcio, sucessão ou rotação, também esteve presente em muitas fazendas que vistamos. Segundo alguns produtores esse é um caminho sem volta, pois é o único jeito de fazer terras arenosas produzirem.


Foi evidenciado também diversas modalidades de integração que fogem um pouco dos sistemas convencionais que estamos acostumados a ver. Além da rotação tradicional (grãos e pasto), tem produtor utilizando o algodão consorciado ao capim e inclusive com apoio da Embrapa na disseminação desse projeto.


Vimos produtores cada vez mais diversificando a ILP com as mais variadas culturas, expandindo a integração para melhor aproveitamento do solo, principalmente em Mato Grosso do Sul que tem áreas muito arenosas.


Gestão diversificada

Entre as propriedades visitadas identificamos as mais variadas estratégias de negócio, como alguns pecuaristas com boiada própria e de parceiros e outros focando principalmente na prestação do serviço de engorda.


Para diminuir os custos da gestão e otimizar as operações, praticamente todos os confinadores que estão em regiões de melhor localização e logística que facilita a chegada de animais estão oferecendo o serviço de engorda para os parceiros.


Esse método de diluição de custo através de parceria tende a expandir, pois o pecuarista invernista está entendendo que vale muito mais a pena antecipar a engorda do animal. Ou seja, intensificar a recria dentro da fazenda e deixar a engorda para o confinador.


A viagem continua

O Confina Brasil tem como objetivo visitar, fazer o levantamento e mapear cerca de um milhão de animais criados de forma intensiva nos cinco principais estados brasileiros confinadores, o que representa, aproximadamente, 20% do gado total confinado no País.


Já passamos pelo interior paulista e continuamos nessa semana em Mato Grosso do Sul, seguindo posteriormente para Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais.

#issoéconfinabrasil

PATROCINADORES

APOIO INSTITUCIONAL

APOIO DE MÍDIA

REALIZAÇÃO

Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 | Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000

+55 17 3343 5111 | +55 17 98107-2666confinabrasil@scotconsultoria.com.br

BM-logo02_branco.png

Copyright 2020.

  • Confina Brasil Instagram